Jota Sport ganha em Paul Ricard… mas não leva

J
untitledkai
O bom e velho Gibson 015S Nissan da Greaves Motorsports foi beneficiado pela punição à Jota Sport e venceu as 4h de Paul Ricard neste domingo

RIO DE JANEIRO – Um erro da equipe Jota Sport, cujo protótipo Gibson 015S Nissan foi brilhantemente conduzido por Simon Dolan/Harry Tincknell/Filipe Albuquerque custou a vitória das 4h de Paul Ricard, disputadas no domingo como a 4ª etapa da temporada do European Le Mans Series (ELMS), ao time britânico. Por exceder o tempo máximo de permanência de um de seus pilotos a bordo, por 1min57seg a mais do que os 90 minutos exigidos por regulamento, a trinca levou um acréscimo de tempo de 45 segundos, fazendo-os baixar para 3º na classificação final.

A vitória ficou com o outro Gibson 015S Nissan da série, alinhado pela também britânica Greaves Motorsports. Os 25 pontos da vitória ficaram com a trinca formada por Gary Hirsch/Jon Lancaster/Björn Wirdheim, que assim chegaram ao segundo triunfo do ano. Com isso, a liderança permanece nas mãos do trio da Jota Sport, porém com apenas um ponto de vantagem para a tripulação da Greaves, mantendo a disputa aberta e ao mesmo tempo emocionante para a última etapa, as 4h do Estoril, em outubro.

Com a punição aos vencedores, o novo protótipo BR01 Nissan alcançou o melhor resultado de sua curta trajetória, com o 2º lugar de Kyrill Ladygin/Viktor Shaitar/Mikhail Aleshin. O outro carro do time – agora denominado AF Racing – foi o quarto colocado graças a David Markozov/Maurizio Mediani/Nicolas Minassian. Somente os quatro primeiros chegaram na mesma volta, percorrendo 123 giros na disputa. Em quinto completou o Ligier JS P2 Judd de Tracy Krohn/Nic Jönsson/Olivier Pla – este último substituiu o brasileiro Oswaldo Negri, que por motivos pessoais não participou da corrida.

untitled2gin
A bordo do Ginetta Nissan #3, Chris Hoy e Charlie Robertson são os primeiros campeões da história da classe LMP3 no ELMS

Na classe LMP3, o abandono do carro #2 de Michael Simpson/Gaëtan Paletou com pouco mais de 1h de corrida deu o título antecipado do campeonato a Chris Hoy/Charlie Robertson, com o outro Ginetta Nissan do Team LNT. A dupla terminou em 17º na geral e chegou à terceira vitória em quatro provas. Com 78 pontos somados, eles não podem mais ser alcançados por Konstantin Calko/Dainius Matijosaitis, que terminaram em 3º na categoria competindo com o holandês Martin Van Oostrum. Roberto Lacorte/Giorgio Sernagiotto fecharam a disputa em Paul Ricard com o segundo posto no pódio – pela segunda vez seguida, igualando o resultado no Red Bull Ring.

Os problemas da Ferrari F458 Italia #56 da AT Racing, guiada por Alessandro Pier Guidi/Aliaksandr Talkanitsa/Aliaksandr Talkanitsa Jr., beneficiaram o carro #60 da Formula Racing: Andrea Rizzoli/Mikkel Mac Jensen/Johnny Laursen venceram pela segunda vez seguida em 2015 e abriram vantagem na liderança do campeonato. Agora, a trinca do time dinamarquês (assistido pela AF Corse, é bom lembrar…) soma 19 pontos de frente para Jesse Krohn/Henry Hassid/Andy Priaulx, que chegaram em segundo na categoria numa ótima performance da BMW Z4 GTE da Marc VDS Racing. A JMW Motorsport, no regresso de Jonathan Cocker à catgegoria, ao lado dos também britânicos Rory Butcher e Robert Smith, completou o pódio.

Na GTC, a TDS Racing fez valer o fator casa. Franck Perera/Dino Lunardi/Éric Dermont faturaram a divisão com sua BMW Z4 GT3, chegando com quase 50 segundos de vantagem para Thomas Flöhr/Stuart Hall/Francesco Castellacci. O trio do time chefiado por Xavier Combet está a um passo do título, com 82 pontos somados contra 69 de Castellacci e Hall, os únicos que podem ameaçar na etapa decisiva do campeonato. A Massive Motorsport conseguiu mais um 3º lugar com o Aston Martin guiado por Kristian Poulsen/Jens Möller/Casper Elgaard.

Com a ausência da Ibanez Racing e seus dois protótipos Wolf GB08 Nissan, que são nada mais nada menos que o Oreca 03R Nissan, o grid da prova de Paul Ricard foi o menor do campeonato até aqui, com 27 carros. Espera-se entretanto que o total de inscritos melhore bastante para a prova final em Portugal, que promete disputas sensacionais nas três divisões em que a disputa pelo título ainda está em aberto.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames