Toyota e Buemi largam na frente em Silverstone

T
#8 TOYOTA GAZOO RACING / JPN / Toyota TS050 - Hybrid - Hybrid  -  FIA WEC 6 Hours of Silverstone  - Silverstone Circuit - Towcester - United Kingdom
Sébastien Buemi não precisou de mais do que três voltas para marcar o melhor tempo na abertura dos treinos do Mundial de Endurance em Silverstone (Foto: FIA WEC)

RIO DE JANEIRO – Está aberta oficialmente a temporada 2017 do Mundial de Endurance (FIA WEC). Nesta sexta-feira, foi disputado em Silverstone o primeiro treino livre para a primeira de um total de nove etapas da competição de resistência. E a Toyota já sai na frente da rival Porsche: o suíço Sébastien Buemi foi o autor da melhor volta do treino. Logo na terceira volta, ele marcou 1’40″104, deixando a 0″781 o Porsche 919 Hybrid do neozelandês Brendon Hartley em segundo.

Mike Conway ficou em 3º lugar com o Toyota #7, alcançando o mesmo segundo do companheiro Buemi, enquanto Nick Tandy, no Porsche que leva o dorsal #1, já foi 1″231 mais lento. O ENSO CLM P1/01 Nismo da ByKolles começou bem – só que não – levou um ferro de mais de oito segundos. Pelo menos o protótipo completou 31 voltas na primeira sessão.

Na LMP2, deu Vaillante Rebellion, com um tempo melhor que o carro da ByKolles, inclusive: Mathias Beche foi o mais veloz com o tempo de 1’45″913, 0″225 acima do #28 da TDS Racing conduzido pelo francês Matthieu Vaxivière. Alex Brundle ficou com a terceira marca a bordo do #37 da Jackie Chan DC Racing. Roman Rusinov (G-Drive Racing) foi o quarto e Gustavo Menezes (Signatech-Alpine) fechou o top 5 desta sessão.

Os brasileiros que fazem parte da categoria viraram tempos próximos no treino livre: Nelsinho Piquet deu só cinco voltas e rodou em 1’51″164. Bruno Senna completou 13 passagens no carro #31 da Vaillante Rebellion – oitavo mais rápido com Nicolas Prost a bordo – para marcar 1’51″741.

#95 ASTON MARTIN RACING / GBR / Aston Martin Vantage / Nicki Thiim (DNK) / Marco S¿rensen (DNK) / Richie Stanaway (NZL) - FIA WEC 6 Hours of Silverstone  - Silverstone Circuit - Towcester - United Kingdom
O mais veloz da LMGTE-PRO foi o Aston Martin com Richie Stanaway a bordo

Campeã mundial na LMGTE-PRO ano passado, a Aston Martin começou bem e fez o melhor tempo em sua categoria – Richie Stanaway, que só correrá nas três primeiras etapas da temporada, andou bem e fez 1’59″110, 0″382 melhor que o Ford GT EcoBoost #66 guiado pelo estadunidense Billy Johnson. O outro carro da equipe de Chip Ganassi veio a seguir com Andy Priaulx, tendo os dois novos Porsche 911 GTE em quarto e quinto, respectivamente graças aos franceses Fred Makowiecki e Kévin Estre.

Aí veio a boa surpresa – principalmente para quem não o conhece: Daniel Serra sentou no carro #97 e de cara foi o mais rápido do trio na primeira sessão. Fez 29 voltas – a melhor delas em 1’59″730 – e ficou a 0″620 de Stanaway, que já conhece o Aston Martin de cor e salteado. Um belo começo para o piloto da Stock Car brasileira. Mas Daniel tem expertise também por conta dos pneus Dunlop, para quem testou e com um carro do construtor britânico. A adaptação dele à pista de Silverstone, que não conhecia, foi muito boa.

Pipo Derani também andou dentro do mesmo segundo do mais rápido da LMGTE-PRO quando deu suas voltas no Ford #67 da Ganassi. Ele completou 18 voltas, a melhor delas em 1’59″952. Só as Ferrari 488 GTE é que rodaram acima da casa dos 2 minutos na primeira sessão.

E na LMGTE-AM, o português Pedro Lamy fez uma volta excepcional em 1’59″342, pondo todo mundo da divisão no bolso. O tempo do luso foi 0″933 melhor que o do Porsche da Gulf Racing guiado por Ben Barker e um segundo inteiro melhor que Matteo Cairoli, da Dempsey Racing-Proton. As Ferrari 488 GTE fecharam a raia, com Matt Griffin (Clearwater Racing) adiante de Miguel Molina (Spirit of Race).

A partir de 12h45, pelo horário de Brasília, carros e pilotos retornam ao circuito de Silverstone para mais uma sessão com 1h30 de duração. A definição do grid de largada é neste sábado. Não haverá transmissão ao vivo da corrida pelos canais Fox Sports. O live streaming do FIA WEC é pago e custa €39 pela temporada completa e €4.99 o evento individual (exceto Le Mans) – incluindo a tomada de tempo.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

2 Comentários

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames