Triunfo de Tachikawa/Ishiura nos 500 km de Fuji

T
38-ZENT-Cerumo-Lexus-LC500-Super-GT-2019-Fuji-1
O Lexus da dupla Tachikawa/Ishiura, vencedora dos 500 km de Fuji, disputados no último sábado

RIO DE JANEIRO – A edição 2019 dos 500 km de Fuji foi sensacional e muito movimentada, do início ao fim. E com direito à chuva e pista molhada, que trouxe emoção e perigo para a disputa que terminaria em 110 voltas completadas pelos carros do Super GT em quase quatro horas de disputa. Mesmo largando da 7ª posição, os veteranos Yuji Tachikawa e Hiroaki Ishiura mostraram sua categoria e experiência, alcançando mais um triunfo para a carreira de ambos.

Tachikawa venceu pela quinta vez a corrida e pela nona ocasião no circuito de 4,563 km. O piloto, que também é o gerente geral da escuderia, fez um grande trabalho ao superar a 12 voltas da quadriculada o Nissan pole position guiado por Ronnie Quintarelli/Tsugio Matsuda, dominante em vários momentos da corrida. Não só passou o adversário, como abriu boa vantagem e fechou a disputa com 19″693 de vantagem.

O último lugar do pódio, após uma árdua batalha, ficou com o Honda NSX-GT Concept dos atuais campeões Jenson Button e Naoki Yamamoto, que conseguiram suplantar Heikki Kövalainen/Yuichi Nakayama (Denso Kobelco SARD) e Koudai Tsukakoshi/Bertrand Baguette (Keihin Real Racing) nos instantes finais. A dupla do #17, inclusive, recuperou-se de uma rodada durante a disputa para salvar pontos importantes no campeonato.

11-Gainer-TanaX-Nissan-GT-R-GT3-Super-GT-2019-Fuji
Com um esforço extra nos instantes finais, a Gainer Tanax triunfou na GT300, por menos de três décimos de vantagem sobre o Honda NSX-GT3 da ARTA

Na GT300, a equipe Gainer Tanax fez uma grande corrida e os experientes Katsuyuki Hiranaka/Hironobu Yasuda deram show com o Nissan GT-R Nismo GT3 ao segurar Nirei Fukuzumi/Shinichi Takagi: a dupla da ARTA foi batida por apenas 0″259 na quadriculada, ao fim de 104 voltas percorridas. Um triunfo importante numa prova em que os quatro primeiros colocados sobraram na turma.

A JLOC ficou com o último lugar do pódio graças a um bom desempenho de Takashi Kogure/Yuya Motojima, seguidos por Kazuki Hiramine/Sacha Fenestraz, que partiram da pole position com o Nissan da Realize Kondo Racing.

Os atuais campeões Naoya Gamou/Haruki Kurosawa (Leon Pyramid) tinham o melhor carro da disputa com pneus intermedários, mas quando o piso secou acabaram por perder rendimento e performance. Pelo menos salvaram o 5º posto, numa corrida especialmente desastrosa para várias equipes. Dois dos “Mother Chassis” que foram muito bem nos treinos classificatórios capitularam: o Hoppy Team Tsuchiya, segundo no grid, foi apenas o 18º colocado. A equipe Mach Syaken tinha muitas esperanças após a terceira posição nos treinos, mas ficaram fora com 36 voltas completadas.

A má sorte também prejudicou a D’Station, do brasileiro João Paulo de Oliveira e seu parceiro Tomonobu Fujii: os dois perderam 18 voltas ao lutar contra vários furos de pneu, completando a disputa num distante 27º lugar. A dupla permanece sem ponto algum na temporada após as duas primeiras provas.

O terceiro evento do Super GT será em Suzuka, no dia 26 de maio.

Classificação do campeonato após duas etapas:

GT500

1. Tsugio Matsuda/Ronnie Quintarelli – 24,5 pontos (+49kg)
2. Yuji Tachikawa/Hiroaki Ishiura – 21,5 (+43kg)
3. Tomoki Nojiri/Takuya Izawa – 12 (+24kg)
4. Jenson Button/Naoki Yamamoto – 11 (+22kg)
5. Kohei Hirate/Fred Makowieck – 9 (+18kg)
6. Heikki Kövalainen/Yuichi Nakayama – 8 (+16kg)
7. Bertrand Baguette/Koudai Tsukakoshi – 6 (+12kg)
8. James Rossite/Daiki Sasaki – 5,5 (+11kg)
9. Ryo Hirakawa/Nick Cassidy – 4 (+8kg)
10. Kenta Yamashita/Kazuya Oshima e Mitsunori Takaboshi/Jann Mardenborough – 3 (+6kg)
12. Sho Tsuboi/Yuji Kunimoto – 2,5 (+5kg)
13. Daisuke Nakajima/Hideki Mutoh – 2 (+4kg)
14. Narain Kartikheyan/Tadasuke Makino – 1,5 (+3kg)
15. Kazuki Nakajima/Yuhi Sekiguchi – 1 (+2kg)

GT300

1. Shinichi Takagi/Nirei Fukuzumi – 23,5 pontos (+47kg)
2. Katsuyuki Hiranaka/Hironobu Yasuda – 20 (+40kg)
3. Sacha Fenestraz/Kazuki Hiramine – 12 (+24kg)
4. Takashi Kogure/Yuya Motojima – 11,5 (+23kg)
5. Morio Nitta/Sena Sakaguchi – 10 (+20kg)
6. Naoya Gamou/Haruki Kurosawa – 8,5 (+17kg)
7. Tetsuya Kataoka/Nobuteru Taniguchi – 6,5 (+13kg)
8. Hiroki Yoshida/Shigekazu Wakisaka – 5,5 (+11kg)
9. Takuto Iguchi/Hideki Yamauchi, Shaun Thong/Shinya Michimi e Hiroki Yoshimoto – 4 (+8kg)
12. Ryuchiro Tomita/Richard Lyons – 3 (+6kg)
13. Ritomo Miyata e Dominik Farnbacher – 2 (+8kg)
15. Hiroki Otsu/Ryo Michigami e Kazuki Hoshino/Keishi Ishikawa – 1 (+2kg)

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

  • Rodrigo esse é um outro campeonato que vem a provar que existe vida fora da Fórmula 1. Grandes disputas com carros com uma boa tecnologia embarcada e com custos relativamente razoáveis. Estou ansioso para no ano que vem quando a Super GT se aliar à DTM. Acredito que vá ser um campeonato bem interessante.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames