MENU

11 de junho de 2019 - 16:44Fórmula 1, Memorabilia

John Young Stewart, 80

ken-tyrrell-003

Uma relação de confiança e amizade: foi com Ken Tyrrell como chefe de equipe que Jackie Stewart, que hoje completa 80 anos, desfilou talento e conquistou três títulos mundiais de Fórmula 1, tornando-se recordista de vitórias por longos 14 anos

RIO DE JANEIRO – Mesmo com toda a correria para embarcar primeiro para São Paulo e de lá para Paris, mais tarde, o blog não pode deixar batida uma data especial.

Hoje, 11 de junho, é o dia do 80º aniversário de John Young Stewart, a quem nós conhecemos como Jackie Stewart, ou simplesmente o “Vesgo”.

O escocês foi um craque do volante. Tricampeão mundial de Fórmula 1 em 1969, 1971 e 1973, encantava não por ter o mesmo estilo agressivo por exemplo de um Ronnie Peterson, mas por ser organizado, veloz e extremamente eficiente.

Não à toa, quebrou o recorde de vitórias do compatriota Jim Clark, ao triunfar pela 26ª vez na carreira – infelizmente no GP da Holanda do trágico acidente com o britânico Roger Williamson, da March. E por 14 longos anos, ninguém o superou, uma vez que na corrida seguinte, em Nürburgring, alcançou a 27ª vitória, a bordo do Tyrrell 006 de motor Ford Cosworth DFV.

Chegaria ao total de 100 GPs disputados, desde que estreou no ano de 1965 com um 6º lugar (já marcando ponto) com um BRM P261 no GP da África do Sul. Mas a morte do companheiro de equipe e amigo François Cevert fez com que a carreira de Stewart, que já teria um ponto final após o tricampeonato, fosse mesmo encerrada sob o espectro de outra tragédia.

Jackie deve se sentir um homem feliz, creio eu – muito embora a fiel companheira Helen, que o viu triste muitas vezes, tantas foram as partidas prematuras de amigos e rivais, esteja hoje em estado avançado de demência. Atravessou as décadas recentes sendo um nome ainda muito respeitado do esporte e um excelente analista e repórter, trabalhando para o canal estadunidense ABC em provas de Fórmula 1 e nas 500 Milhas de Indianápolis – posteriormente servindo à NBC e também a redes de televisão da Austrália e Canadá.

Sincero e direto, com o microfone na mão cunhou frases geniais. Como esta abaixo sobre o título de Emerson Fittipaldi, que acompanhou ao vivo em Watkins Glen em 1974, na mesma pista em que se retirara do esporte como piloto de competição.

“A Ferrari tinha o melhor carro, mas a McLaren tinha o piloto mais inteligente. E por isso mesmo, venceu o campeonato.”

Stewart também foi dono de equipe junto ao filho Paul e patrão de muitos brasileiros. Na Fórmula 1, foi Jackie quem reabriu o mercado para Rubens Barrichello. Não fosse por sua campanha em 1999 e talvez o piloto sequer fosse lembrado para ser um dia piloto da Ferrari.

Nas categorias menores da Inglaterra, por lá passaram Luciano Burti, Gil de Ferran e Hélio Castroneves, com Gil conquistando o título da Fórmula 3 inglesa em 1992, quando a equipe ainda era Paul Stewart Racing. Mas o velho “Vesgo”, não se enganem, estava junto ao filho acompanhando o crescimento de todos eles. Se houve mais brasileiros na escuderia, por favor incluam na área de comentários. Memória seletiva é uma merda…

E já que estamos falando – e muito – das 24 Horas de Le Mans, Jackie esteve nela há muito, muito tempo atrás.

No mesmo ano em que estreou de Fórmula 1 aos 26 anos, em 1965, Stewart correu ao lado de Graham Hill em La Sarthe com um protótipo Rover-BRM movido a Turbina a gás. O motor tinha apenas 2 litros de capacidade cúbica, mas resistiu bem e a dupla chegou na 10ª colocação após completar 284 voltas.

Vida longa a John Young Stewart!

Compartilhar

5 comentários

  1. ags disse:

    Estilo é algo que não se acha em qq secos e molhados..
    O cara nasceu para ser um Don na arte de segurar essas baratinhas
    .Esse merece respeito… é uma lenda..
    Ao passo que, outros batem nas esposas… solta papagaio na praça.. corre do fisco..e ainda quer espaço na midia..
    Se nos EUA tivesse a Maria da Penha.. a historia seria outra.. mas..mas..mas..mas…..

  2. Ivair disse:

    Parabéns! Um dos gênios da F1 em todos os tempos.

  3. Antonio Seabra disse:

    Grande Campeão, e, pelo que todos dizem, grande pessoa.
    E como curiosidade, lembrando que apesar de Vesgo, Jackie veio do tiro esportivo para o automobilismo.

    Antonio

  4. Francisco Cruz disse:

    Se não estiver enganado Mario Haberfeld correu pra Stewart tb…. Stewart está no hall dos maiores de todos os tempos sem dúvidas….

  5. Leandro disse:

    O campeão mundial de F1 mais antigo ainda vivo. E pensar que, dos campeões nos anos 70, só ele, Emerson, Mario Andretti e Jody Scheckter ainda estão aqui para contar a história. Longa vida a eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *