Thierry Neuville vence Rally de Monte-Carlo

T

RIO DE JANEIRO – A temporada 2020 do World Rally Championship (WRC) teve início com a disputa do histórico Rally de Monte-Carlo. Disputada em sua 88ª edição, a prova teve todos os ingredientes que a permeiam ao longo de quatro dias (o evento é o único do calendário com especiais numa quinta-feira, à noite) em 16 trechos cronometrados: muito frio, gelo à margem do traçado e, pior ainda, a fina camada de água que congela sobre o asfalto, deixando-o como se fosse gelo negro.

Isso não foi empecilho para que Thierry Neuville e Nicolas Gilsoul chegassem à vitória – a primeira deles na trajetória da dupla no WRC. Os belgas tiveram desempenho muito sólido ao longo das etapas e no domingo, o piloto da Hyundai conseguiu não só manter Sébastien Ogier sob controle como ampliar sua vantagem, encerrando o Rally com 12 segundos de vantagem.

“Tivemos um sentimento muito bom nestes últimos dias. Conseguimos recuperar e chegar a tempo da vitória. Estávamos à procura desta vitória faz muito tempo e mostramos a nossa performance neste fim de semana. É um excelente começo de temporada.”

O mais legal do Rally de Monte-Carlo é que existiu algum equilíbrio entre as três marcas com equipes oficiais. Não só a Hyundai foi bem: a Toyota esteve forte com suas novas formações e a Ford, com Teemu Suninen e Esapekka Lappi teve bom desempenho.

A lamentar o impressionante acidente de Ott Tänak/Martin Jarvejöja, na estreia da dupla estoniana pela Hyundai. Num trecho muito rápido, o i20 dos atuais campeões mundiais saiu do traçado, decolou de forma assustadora e sofreu uma série de capotagens – e milagrosamente, piloto e copiloto saíram do carro destruído sem qualquer arranhão!

É claro que foi impossível a eles seguir no evento, mas só de vê-los de pé após um acidente feito este, é um milagre.

Falando em Toyota e novas formações, o construtor japonês não sai de mãos abanando da estreia. Sébastien Ogier/Julien Ingrassia ficaram com o 2º lugar e Elfyn Evans/Scott Martin com a terceira colocação – e registre-se que a dupla britânica deu trabalho a Neuville/Gilsoul, liderando parcialmente a classificação, mas perdendo posições até o final.

“Não posso ainda fazer o que quero com o carro”, justificou-se o galês.

Quem teve performance decepcionante foi a dupla veterana e multicampeã formada por Sébastien Loeb/Daniel Elena. Os franceses cometeram um rosário de erros que comprometeram o resultado final. Acabaram em 6º lugar, atrás do Ford de Esapekka Lappi/Janne Ferm e de Kalle Rovanperä/Janne Halttunen, que tiveram excelente estreia pela Toyota.

Takamoto Katsuta ficou um pouco aquém do ritmo dos adversários, mas levou um quarto modelo Yaris ao 7º lugar e aos primeiros pontos da temporada 2020, seguido por Teemu Suninen. Só esses oito entre os pilotos da chamada “Prioridade 1” terminaram o Rally no top 10.

A nona posição ficou com Eric Camilli/François-Xavier Buresi, agora competindo no WRC3 (a nova denominação para os carros do WRC2 sem vínculo com fábricas). Isto posto, no WRC2 propriamente dito, ganharam Mads Østberg/Torstein Eriksen, que beliscaram o último ponto da geral.

Para os brasileiros Paulo “Palmeirinha” Nobre/Gabriel Morales, foi um Rally a se esquecer. Eles tiveram vários problemas, se acidentaram duas vezes e finalizaram a competição em antepenúltimo entre 73 carros que terminaram – de um total de 88 inscritos. E é lógico que não marcaram nenhum ponto na classificação do campeonato.

A próxima etapa do calendário será o Rally da Suécia, agora em fevereiro.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames