Quinta categoria, nova pontuação e calendário: as novidades do IMSA para 2021

Q

RIO DE JANEIRO – A série estadunidense IMSA não esperou muito e, mesmo com a Pandemia do Covid-19 ainda não erradicada, os dirigentes do campeonato estadunidense de Endurance já formataram as 12 datas que compõem o calendário de eventos para a temporada 2021.

Que terá novidades: o campeonato volta a ser disputado por cinco classes, com a entrada já esperada dos Esporte-Protótipos dentro do regulamento LMP3 do ACO. Para a série, virão os chassis homologados em 2020 – a saber: Ligier JS P320, Duqueine M30-D08, Ginetta G61-LT-P3 e ADESS-03. Todos eles, aliás, mostrados em primeira mão nas 24h de Le Mans ano passado.

Inclusive, já há uma equipe anunciada: a Riley Motorsports terá um protótipo Ligier JS P320 para Dylan Murray e Jim Cox, dupla egressa do IMSA Michelin Pilot Challenge.

A nova subclasse do IMSA Weathertech SportsCar Championship disputará um total limitado de eventos, a exemplo da LMP2. Serão seis datas para ambas as classes, que obrigatoriamente serão Pro-Am.

Na LMP3, não será permitida a participação de pilotos com graduação Platina. Já na LMP2, é obrigatória a presença de um dos tripulantes com a graduação Bronze – o melhor ganha o Jim Trueman Award e uma participação de ofício nas 24h de Le Mans de 2022. No ano que vem, a segunda divisão de Protótipos autorizará a presença de pilotos com licença máxima no grid.

As categorias Pro-Am da série principal da IMSA terão também uma novidade no formato de qualificação no ano que vem: serão disputadas por dois pilotos, com dois sets de pneus à disposição para cada fase do treino classificatório. E pela primeira vez, serão aferidos pontos, dentro do critério até este ano estabelecido pela organização. As classes DPi e GTLM seguem com um piloto apenas nas tomadas de tempo.

E a pontuação, que continua contemplando o top 30 de cada classe – o que é meio absurdo, já que nenhuma categoria vai ter grid máximo, o que representaria 150 carros – será multiplicada em dez vezes os números atuais. Uma vitória que hoje vale 35 pontos será 350. O segundo, de 32 pontos sobe para 320. E aí vai. Um sistema complexo: teremos sempre que usar a calculadora para fazer contas…

Pela distribuição da direção da categoria, a única classe presente em todas as provas será a GTD, porém com a seguinte ressalva: as corridas de Detroit e Mosport valerão unicamente para o IMSA Weathertech Sprint Cup, que contempla oito eventos. DPi e GTLM fazem dez corridas. O IMSA Michelin Endurance Cup segue com os mesmos quatro eventos de sempre – exceção feita a este ano – só que a LMP2 e a LMP3 não pontuam para o IMEC em Daytona.

Quanto ao calendário, a disposição de eventos atende ao que fora estabelecido para este ano e o planejamento foi para o espaço por conta da Pandemia. A intenção é fazer 12 provas e iniciar a temporada 2021 como sempre em janeiro, com a disputa das 24h de Daytona nos dias 30 e 31 daquele mês. O ROAR Before The Rolex 24 será exatamente na semana anterior da clássica prova da Flórida.

Calendário do IMSA Weathertech SportsCar Championship 2021:

22/24 de janeiro – ROAR Before The Rolex 24
DPi, LMP2, LMP3, GTLM e GTD

30/31 de janeiro – Rolex 24 at Daytona
DPi, LMP2 (*), LMP3 (*), GTLM e GTD

20 de março – Mobil 1 12h de Sebring
DPi, LMP2, LMP3, GTLM e GTD

17 de abril – GP de Long Beach
DPi, GTLM e GTD

25 de abril – Weathertech Raceway Laguna Seca
DPi, LMP2, GTLM e GTD

16 de maio – Mid-Ohio Sports Car Course
DPi, LMP3 e GTD

a confirmar (junho) – Detroit Belle Isle
DPi, LMP2 e GTD (**)

27 de junho – Sahlen’s Six Hours of The Glen
DPi, LMP2, LMP3, GTLM e GTD

4 de julho – Canadian Tire Motorsport Park
DPi, LMP3, GTLM e GTD (**)

17 de julho – Lime Rock Park
GTLM e GTD

8 de agosto – Road America
DPi, LMP2, LMP3, GTLM e GTD

22 de agosto – Virginia International Raceway
GTLM e GTD

9 de outubro – Motul Petit Le Mans
DPi, LMP2, LMP3, GTLM e GTD

(*) LMP2 e LMP3 não contarão pontos em Daytona para o IMSA Michelin Endurance Cup
(**) Somente IMSA Weathertech Sprint Cup

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames