24h de Le Mans: deu Toyota no treino livre pré-Hyperpole

2

RIO DE JANEIRO – Com o melhor tempo do fim de semana – 3’26″796, cortesia de – sempre ele! – Kamui Kobayashi, a Toyota estabeleceu a referência do terceiro treino livre para a 90ª edição das 24h de Le Mans, na sessão pré-Hyperpole disputada com 3h de pista aberta nesta quinta-feira.

Foi uma sessão bastante acidentada: houve três ‘pancas’, uma saída de pista e duas rodadas. Começamos com as rodadas: o Porsche #56 de Brendan Iribe e o Oreca #32 de Rolf Ineichen deram susto, mas saíram ilesos. O novato Reshad de Gerus, da Duqueine Team, saiu da pista na altura de Indianápolis e o carro #30 não voltou.

E houve três acidentes, um deles bem forte: o #13 da TDS Racing x Vaillante, pilotado pelo novato Philippe Cimadomo, de 62 anos, teve um contato na altura das Porsche Curves com o #31 de Sean Gelael e bateu forte, de frente, nas barreiras de proteção. A direção de prova liderada pelo português Eduardo Freitas deu bandeira vermelha e interrompeu a sessão para a remoção do carro destruído.

Logo após o reinício do treino, Sébastien Page, outro estreante na prova, danificou o #39 da Graff Racing na altura de Indianápolis. Com o protótipo em sentido contrário ao normal, a direção de prova deu apenas amarela localizada e depois acionou um período de Slow Zones.

A dois minutos do fim, bateu a Ferrari da Inception Racing/Garage 59, guiada pelo sueco Alexander West. Foi o bastante e o treino acabou encerrado porque até meia-noite local tem atividade de pista, inclusive a Hyperpole às 20h da França e o quarto e último treino livre.

Voltando aos tempos, Koba foi 0″319 melhor que o colega de equipe Brendon Hartley, em que pese o #8 ter enfrentado um problema de eletrônica com Ryo Hirakawa a bordo. Os Glickenhaus ficaram em terceiro e quarto e a Alpine, que num novo BoP pré-prova recebeu um acréscimo de potência no motor Gibson 4,5 litros V8 do protótipo, ficou em quinto.

Na LMP2, deu United Autosports em 1-2, com o #22 de Filipe Albuquerque sendo escudado pelo #23 com Alex Lynn na volta mais rápida. Robin Frijns fez o melhor tempo do #31 da WRT, que por longo período foi também o melhor da classe. Mas o time belga caiu para terceiro com o #38 da Jota em quarto e o #41 da RealTeam by WRT fechando o top 5.

O Team Penske de Felipe Nasr ficou com o 10º tempo nesta atividade de pista, com a melhor marca em 3’33″247, apenas seis milésimos melhor que o #43 da Inter Europol Competition, que fechou o TL3 em décimo-segundo.

O #83 da AF Corse foi o melhor entre os 10 inscritos LMP2 Pro-Am com o sétimo lugar geral da classe em 3’32″049. E após o acidente de Steven Thomas no TL1, o #45 da Algarve Pro Racing voltou à pista com outro chassi. A equipe completou 24 voltas hoje e ficou em vigésimo na categoria.

A Corvette bateu a Porsche por 0″480 e liderou entre os sete LMGTE-PRO. O #64 com Nick Tandy a bordo estabeleceu 3’52″307, contra 3’52″787 do carro alemão guiado por Richard Lietz. Na briga Corvette-Porsche, as marcas se alternaram, com o #63 em terceiro e o #92 em quarto. As três Ferrari fecharam a raia da classe: o carro da Riley, de Felipe Fraga, deu apenas sete voltas. O #51 de Daniel Serra ficou em sexto.

Na LMGTE-AM, Mikkel O. Pedersen fez a melhor volta da sessão em 3’54″386, 0″232 abaixo do Aston Martin #33 da TF Sport, com a Hardpoint (Absolute Racing) em terceiro. Porsches e Astons se misturaram no top 5 e a melhor Ferrari ficou em 6º, do trio Matteo Cressoni/Giancarlo Fisichella/Richard Heistand, da Iron Lynx.

A partir de 15h de Brasília, 20h locais, será disputada a Hyperpole, com meia hora de pista para 23 carros – cinco Hypercar e os seis melhores das divisões LMGTE-PRO, LMP2 e LMGTE-AM.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames