MENU

13 de março de 2018 - 18:03Rali

WRC: Ogier, na maciota, vence o Rali do México

13284_SebOgier-Mexico-2018_001_896x504

Sem correr muitos riscos, Sébastien Ogier se deu bem no último fim de semana e venceu o Rali do México

RIO DE JANEIRO - Peço desculpas aos leitores pela demora em falar do Rali do México, 3ª etapa do WRC. É que ontem as notícias das mortes de Ralf Waldmann e Siegfried Rauch, fora a volta do WEC ao Brasil e o fechamento do Fox Nitro, me deixaram sem muito tempo. Agora dá pra fazer um balanço do que foi o fim de semana de provas em Guanajuato, a mais de 2.300 metros acima do nível do mar.

Pelo que se viu desde quinta-feira, o triunfo caiu no colo de Sébastien Ogier. O francês da Ford nem de longe era o mais capacitado no início para vencer. E desde as primeiras especiais, os adversários tiveram problemas: Elfyn Evans capotou, Esapekka Lappi caiu num despenhadeiro de estrada e o líder do campeonato Thierry Neuville enfrentou problemas de motor que o atrasaram.

E o mais incrível é que o domínio inicial era de Dani Sordo, um piloto da Hyundai que divide um dos carros do construtor sul-coreano com Hayden Paddon. E, pior para os adversários, Sébastien Loeb voltou ao WRC “chutando bundas”. O Pelé do esporte, nove vezes campeão mundial de 2004 a 2012, provou que mesmo com pouco treino – andou apenas duas vezes no novo Citroën – e aos 44 anos de idade, está em forma e ainda feliz por fazer o que mais gosta. Não só venceu especiais – duas, aliás – como também assumiu de forma momentânea a liderança da classificação geral.

Uau!

13274_SebLoeb-Mexico-2018_001_896x504

O Pelé do Mundial de Rali voltou e deu espetáculo: Sébastien Loeb chegou a ser o mais rápido de especiais e liderou na geral – antes que um furo de pneu o distanciasse do pódio. O multicampeão chegou em 5º lugar

Mas as particularidades das provas do Mundial de Rali acabaram por dar um fim pouco glorioso ao retorno histórico do francês. Sébastien perdeu pouco mais de dois minutos em razão de um furo de pneu e perdeu qualquer possibilidade de ir ao pódio. Pelo menos a lenda se divertiu um bocado…

Sordo também teve problemas com furos de pneus e Kris Meeke, considerado o rival a ser batido por Ogier – e vencedor do Rali do México ano passado, cometeu vários erros que o atrasaram e ao navegador Paul Nagle. Assim, o francês da M-Sport Ford não teve mais dificuldades e se deu ao luxo de inclusive conservar um jogo novo de pneus para buscar a pontuação máxima no Power Stage de Las Minas.

O pentacampeão exagerou no entusiasmo. Colidiu com duas barreiras de plástico montadas para fazer chicanes artificiais – o que não era permitido pelo regulamento e todas as equipes sabiam disso. Ott Tänak, que já tinha visto seu Rali ir por água abaixo em razão de graves problemas mecânicos – que afligiram ao estoniano e a Jari-Matti Latvala (falha de alternador), foi o mais rápido. Ogier havia sido o 2º, mas recebeu um pênalti de 10 segundos e perdeu os quatro pontos extras a que tinha direito.

Em consequência dessa decisão, Neuville – que acabou o evento em sexto lugar, distante quase cinco minutos do vencedor, descontou cinco pontos. Estava nove atrás do rival que, punido, caiu quatro e o belga da Hyundai subiu um no Power Stage. Assim, a diferença ficou em quatro pontos – 56 a 52.

No WRC2, Pontus Tidemand (Skoda) dominou sem sustos e conquistou não só a vitória como a liderança do campeonato, alcançando 43 pontos. O sueco ainda terminou num ótimo 7º lugar na classificação geral. Gus Greensmith ficou em 2º na classe e o chileno Pedro Heller foi o melhor latino-americano do Rali do México, obtendo o terceiro posto na divisão e seu primeiro ponto no Mundial de Pilotos. O boliviano Marquito Bulacia e o finlandês Källe Rövanperä completaram os cinco melhores da divisão.

A próxima etapa do Mundial é o lendário Tour de Corse, o Rali das dez mil curvas, entre 6 e 8 de abril.

Classificação final do Rali do México:

1 – Ogier-Ingrassia (Ford Fiesta WRC) – 3.53’58”0
2 – Sordo-Del Barrio (Hyundai i20 WRC) + 53”6
3 – Meeke-Nagle (Citroen C3 WRC) + 1’19”2
4 – Mikkelsen-Jaeger (Hyundai i20 WRC) + 1’38”4
5 – Loeb-Elena (Citroen DS3 WRC) + 2’24”6
6 – Neuville-Gilsoul (Hyundai i20 WRC) + 4’53”0
7 – Tidemand-Andersson (Skoda Fabia R5) + 10’24”7
8 – Latvala-Anttila (Toyota Yaris WRC) + 15’37”1
9 – Greensmith-Parry (Ford Fiesta R5) + 17’09”3
10 – Heller-Olmos (Ford Fiesta R5) + 24’18”1

Classificação do campeonato após 3 etapas:

1. Sébastien Ogier – 56 pontos
2. Thierry Neuville – 52
3. Andreas Mikkelsen – 35
4. Kris Meeke – 32
5. Jari-Matti Latvala – 31
6. Ott Tänak – 26
7. Esapekka Lappi – 23
8. Craig Breen – 20
9. Dani Sordo – 18
10. Sébastien Loeb – 11
11. Hayden Paddon – 10
12. Elfyn Evans e Mads Østberg – 8
14. Pontus Tidemand – 6
15. Teemu Sunninen e Bryan Bouffier – 4
17. Gus Greensmith – 2
18. Jan Kopecky e Pedro Heller – 1

4 comentários

  1. Gustavo disse:

    https://chat.whatsapp.com/70hyZBGQ9FXDcJjePrbWfH Bom Mattar se me permite gostaria de divulgar o meu grupo de Whatsapp de Endurance que um dos principais grupos de Endurance do Brasil

  2. ags disse:

    Talvez vc vai ser contra o que eu penso sobre automobilismo…..em geral..
    Mas o paizinho em que vivemos que e´até bom de mais pra morar e rir.. é um laboratorio em céu aberto..e não tem uma etapa de um Mundial de Ralli é muita sacanagem…que sacanagem viu…

  3. Pedro Ribeiro disse:

    To achando que o Ogier tem MUITA chance de quebrar o recorde do Loeb, tá pilotando uma barbaridade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>