MENU

13 de outubro de 2018 - 04:54Mundial de Endurance

WEC, 6h de Fuji: e deu a lógica na qualificação

TGR_0010-1

Até que a diferença para os LMP1 não-oficiais diminuiu razoavelmente. Mas a Toyota continua sobrando na turma e fez mais uma pole, agora na pista “caseira” de Fuji

RIO DE JANEIRO - Desta vez não foi com a mesma diferença das vezes anteriores, mas mesmo assim deu a lógica no treino de classificação para as 6h de Fuji, quarta etapa do Mundial de Endurance (FIA WEC). A Toyota sobrou na turma e registrou mais uma pole position – desta vez com o carro #7 conduzido na sessão oficial por Pechito López e por Kamui Kobayashi.

A dupla levou o ponto extra, também atribuído a Mike Conway, por conta do cancelamento da melhor volta de Sébastien Buemi a bordo do #8, dividido com Fernando Alonso. O espanhol, que voltou uma década depois à pista em que venceu uma prova de Fórmula 1 pela Renault, foi o piloto mais rápido do dia com 1’23″203.

Na média inicial de voltas, Alonso e Buemi ficaram meros 0″006 à frente dos rivais e colegas de equipe. Porém, a direção de prova aplicou a regra e deletou a volta de Buemi. O suíço voltou com a missão de tentar fazer algo semelhante. Não conseguiu. Por isso a pole é do outro Toyota.

As três primeiras filas do grid estão, inclusive, aos pares, pois a Rebellion ficou com terceiro e quarto tempos. Andre Lotterer, inclusive, fez um ótimo tempo de 1’24″031 e na média os dois R13 de motor Gibson V8 ficaram dentro do mesmo segundo do pole position. Atrás dos carros helvéticos estão os BR1 Engineering com motor AER biturbo da SMP Racing, que tem como principal atração o britânico Jenson Button. ByKolles e DragonSpeed fizeram apenas figuração na definição do grid.

Porém, o time de Elton Julian, único que tem protótipos nas duas classes, não saiu triste do circuito neste sábado. Anthony Davidson e Roberto González conquistaram o ponto extra entre os carros da LMP2, com a média de 1’28″906 – o tempo de Davidson em 1’28″011 é, inclusive, o novo recorde da pista para a categoria.

A Jackie Chan mostrou ligeira superioridade em relação à Signatech-Alpine Matmut, com os carros #38 e #37 ocupando as posições respectivamente de segundo e terceiro à frente do Alpine A470 do brasileiro André Negrão e seus parceiros franceses, Pierre Thirier e Nico Lapierre. A TDS Racing veio a seguir, trazendo a reboque o Racing Team Nederland e, como sempre em último, a Larbre Competition.

5bc0733f1ead6

Crescendo a cada etapa: a Aston Martin conquistou hoje a primeira pole do novo modelo Vantage (Foto: João Filipe/AdrenalMedia.com)

Entre os Grã-Turismo, a grata surpresa do treino foi a pole position do novo AMR Vantage da Aston Martin, naquela que é apenas a quarta prova de um carro que começou muito mal nas 6h de Spa-Francorchamps. O BoP já foi positivo para os britânicos em Silverstone e com os ajustes feitos para Fuji, o “Dane Train” campeão de 2016 no WEC voltou a dar o ar da graça.

Nicki Thiim e Marco Sørensen marcaram a média de 1’36″093 (a volta de Thiim é o novo recorde da pista para a LMGTE-PRO), batendo por 0″182 a BMW M8 GTE de Tom Blomqvist, que é o substituto do brasileiro Augusto Farfus nesta prova, mais o português Antonio Félix da Costa.

Alex Lynn e Maxime Martin também foram bem com o #97, conquistando a terceira melhor marca do treino. A seguir, veio o Ford GT de Andy Priaulx/Harry Tincknell e a Ferrari de Davide Rigon/Sam Bird. O melhor Porsche ficou apenas em 8º lugar, com os líderes do campeonato Kévin Estre/Michael Christensen com o pior tempo da divisão. Nove carros rodaram dentro do mesmo segundo em ritmo de classificação, o que é significativo.

E se na LMGTE-PRO não deu para a Porsche, o construtor de Stuttgart emplacou mais uma pole com um time cliente: a Dempsey Racing-Proton sai na frente de seus adversários na LMGTE-AM, com o veterano Satoshi Hoshino ao lado de Matteo Cairoli na busca das melhores voltas. Com a média de 1’38″336, suplantaram por apenas 0″064 a média de Pedro Lamy e Paul Dalla Lana com o Aston Martin #98.

Matt Campbell fez a melhor volta do treino e o novo recorde da categoria – insuficiente, porém, para a pole. Christian Ried fez sua melhor volta na casa de 1’40″, o que deixou o carro líder da temporada em terceiro, à frente da Project 1 e da TF Sport. A melhor Ferrari do grid da classe em que é obrigatório pelo menos um piloto bronze ficou em sexto, com a Clearwater Racing.

As 6h de Fuji começam às 23h de Brasília neste sábado. Para acompanhar ao vivo e na íntegra, já que o Fox Sports 2 só exibirá highlights, há o streaming no site oficial. Mas é preciso pagar uma quantia para assisti-lo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>