MENU

30 de abril de 2019 - 02:41Fórmula 1

Invictus

2019 Azerbaijan Grand Prix, Sunday - Steve Etherington

RIO DE JANEIRO - Desculpem o atraso em falar do GP do Azerbaijão. Afinal de contas, com o WTCR meio em cima do horário da corrida da Fórmula 1, o que é bastante ingrato (se bem que foi ótima a corrida do Hungaroring que exibimos ao vivo), não deu para observar tudo mais detidamente que teria acontecido em Baku. Então peço novamente desculpas se a análise será mais superficial do que de costume.

O que não dá pra deixar passar batido é que em 70 temporadas na história da categoria máxima do esporte a motor, esta é a primeira vez em que uma equipe consegue quatro dobradinhas em sequência, nas quatro primeiras etapas de um campeonato.

Pois é: a Mercedes-Benz alcançou nesse ano o que nem mesmo a McLaren na época de Senna e Prost e nem na época do “carro de outro planeta” da Williams, não se alcançou feito semelhante.

E para surpresa geral, não é Lewis Hamilton quem lidera o campeonato.

É Valtteri Bottas, um ponto à frente do vencedor da corrida anterior em Xangai. Uma situação que começa a preocupar o chefão da equipe alemã, Toto Wolff.

O finlandês parece ter acordado pra vida? Talvez. Mas prefiro não emitir juízo de valor tão cedo no campeonato. Se a situação continuar como está, ou com Lewis à frente e com Bottas muito perto, não sei se teremos uma repetição do que aconteceu em 2016. Não vejo o nórdico como alguém que pode repetir Nico Rosberg e incomodar o companheiro de equipe a ponto de virar sua cabeça – assim como tenho sentido que Charles Leclerc faz com Sebastian Vettel na Ferrari.

E por falar em Ferrari, mais uma corrida confusa para os italianos. Vettel se diz “inconstante e inconsistente”. Charles Leclerc errou no treino classificatório, largou em oitavo (por conta de penalizações, registre-se) e, como o Flavinho Gomes disse muito bem em seu blog, não faz milagres. Nenhum dos dois faria. E aliás, ninguém, já que a corrida foi inócua, sonolenta e não houve um Safety Car sequer para animar a festa.

Eu desconfio que a Ferrari, inclusive, cometeu mais um erro e mui discretamente, jogou mais uma corrida do Leclerc no ralo. O monegasco largou com médios, permaneceu na pista por 35 voltas, perdeu performance após liderar com vantagem de mais de 12 segundos e depois, trocando por macios, ficou para trás. Fez a melhor volta, ganhou o ponto extra e ficou num desdentado 5º lugar. Não é o bastante.

Como também não tem sido o bastante para a Red Bull ter confiabilidade se falta o algo mais a Max Verstappen e principalmente a Pierre Gasly, que ainda não disse ao que veio na equipe rubrotaurina. De mais a mais, foi bem o mexicano Sergio Pérez com a Racing Point (o cara tem vocação pra andar bem ali naquela difícil pista azeri, viu?) e a McLaren tem surpreendido – Lando Norris em especial. Carlos Sainz fez seus primeiros pontos no ano e a equipe dos carros laranja atingiu um incrível 4º lugar no Mundial de Construtores.

E a disputa pelo melhor do resto promete: a McLaren aparenta estar bem, mas não duvidem do que a Alfa Romeo (mais com Räikkönen) e a Racing Point (mais com Pérez) podem fazer. Até aqui, Renault e Haas desiludem por completo e os franceses, mais ainda – a Régie, dos times de fábrica, é disparada a pior equipe. E Daniel Ricciardo, coitado, foi protagonista de uma grande patacoada ao dar marcha-a-ré apos um erro de frenagem e se enroscar com uma das Toro Rosso.

Enfim, foi uma corrida absolutamente sacal. O GP da Espanha, normalmente, não costuma ser bom. Mas tomara que nos surpreenda.

6 comentários

  1. Jorge BArros disse:

    Única corrida que espera-se algo diferente ja se adaptou as monótonas provas da F1 moderna. Uma certeza que tenho é que alguém para o Hamilton ver no retrovisor esse ano será o Lecrerc. Bottas só dominou o circuito que todos ainda tem um certo receio.

    • Claudio disse:

      Não vejo como uma questão de adaptação, o que acontece é que a prova é muito dependente de situações que forcem a entrada do SC e mexa com as estratégias. Quando isso não ocorre, a tendência é os carros se espalharem pela pista.

  2. André Fonseca disse:

    Mattar,

    A hora da parada do Lec-Lec era quando assumiu a liderança, 12 segundos na frente do segundo colocar. Seguindo a lógica, e se a narração da corrida não estivesse errada (pq nem mesmo eles sabiam qual era o tempo total perdido na parada dos boxes), o tempo total perdido seria de 20 segundo, o que colocaria Lec-Lec 8 segundos atrás do líder.

    Aí sim, teríamos corrida!!!

    Mas como é a equipe vermelha, ferraram com o muleque.

    Sobre Bottas, acho que ele vai sim brigar com o Hamilton, mas não acredito que entre em modo “Rosberg”, como em 2016. Pra mim, naquele ano Rosberg já tinha em mente parar se ganhasse o mundial e por isso foi pra cima, dividindo curvas e freadas com Hamilton, algo que seria improvável para Bottas.

    Na hora de “tacar o carro em cima do Hamilton”, acho que o Bottas recolhe…

    • Claudio disse:

      O problema do Leclerc parar muito cedo residia no fato dele não ter mais nenhum jogo de pneus médios (o outro era o do acidente). Dessa forma, ele teria de fazer ao menos mais duas paradas com o pneu macio, que teve durabilidade e desempenho muito abaixo na prova. E não tinha como usar os pneus duros, a falta de aquecimento iria detonar esses pneus, tanto que ninguém cogitou o uso deles na prova Não tinha outro jeito, aguardar um provável safety car era mais plausível. A estratégia de largar com médios talvez funcionasse se ele largasse na frente, mas ainda assim acredito que teria de fazer mais de uma parada ou então ficaria com o desempenho muito abaixo no segundo stint

      • André Fonseca disse:

        Claudio,

        Até concordo, mas fazer “mais do mesmo” não daria em nada, como não deu.

        Mete o macio, faz o terror em quanto o pneu aguenta, e depois troca para outro jogo de macios.

        Entre ficar nesse marasmo e chegar em 5º e arriscar duas paradas mas com a possibilidade de chegar mais na frente, eu iria para duas paradas com os macios!!!

        Mesmo que depois chegasse em 6º, FU por FU, TRUCA!!!

  3. Claudio disse:

    É Mattar, pinta que a disputa mais interessante dessa temporada será quem será o campeão do resto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>