8x Ogier

8

RIO DE JANEIRO  – Dos nove campeonatos recentes do Mundial de Rally (WRC), este homem à esquerda de quem vê a foto venceu oito. E assim, Sébastien Ogier e seu xará Loeb, que dominou a modalidade por longo período, chegam juntos a 17 títulos somados em dezoito anos – somente Ott Tänak quebrou essa longa escrita em 2019.

O oitavo troféu para a estante de Ogier e de seu copiloto Julien Ingrassia, que inclusive deixa a parceria em 2022, quando Sébastien participará apenas em eventos pré-selecionados, veio domingo após a disputa do Rally de Monza, substituto da etapa japonesa cancelada por conta das restrições da Pandemia do Covid-19.

Cabe o registro que Ogier venceu seus oito campeonatos por três marcas diferentes – Volkswagen, Ford e Toyota, que além de tudo ganhou o título de construtores por ter feito campeão e vice – o galês Elfyn Evans.

Evans será o piloto a ser batido em 2022, com a semi-aposentadoria de Ogier. O piloto britânico mostrou muitas qualidades e principalmente maturidade nesta temporada. Perdeu o campeonato por apenas 23 pontos – menos do que vale uma vitória no WRC, sem contar os pontos extras de Power Stage. Foi um grande e difícil adversário, mas o francês de Gap se impôs e venceu a última etapa da temporada com vantagem de sete segundos e três décimos sobre o vice-campeão do mundo.

Dani Sordo fechou mais uma temporada de colaboração com a Hyundai com o pódio, já que é um grande especialista em provas de asfalto. Superou Thierry Neuville, Oliver Sölberg, que guiou um carro da equipe “B” do construtor sul-coreano e também Teemu Suninen, que substituiu de última hora a Ott Tänak, que por problemas de saúde não pôde comparecer na última etapa do campeonato.

Takamoto Katsuta fechou o evento com a 7ª posição, seguido pelo único Ford no top 10 com Gus Greensmith, o Yaris de Kalle Rovanpërä, a grande revelação do ano e também pelo local Andrea Crugnola, em excelente prova de recuperação após enfrentar vários problemas no primeiro dia de provas cronometradas.

Com o título do WRC2 já definido em favor de Andreas Mikkelsen, restava então conhecer o campeão do WRC3 e o título ficou com Yohan Rossel, que chegou em segundo na subclasse e bateu o polonês Kajetan Kajetanowicz, que era seu principal adversário e foi o 3º colocado no Rally de Monza na categoria.

Nikolay Gryazin foi o melhor entre os pilotos do WRC2, mas seu resultado contou somente para a competição de equipes. A pontuação máxima de pilotos foi para Jari Huttunen, que assim terminou a temporada em 3º, superando o boliviano Marco Bulacia no número de vitórias ao longo do ano.

Classificação final do Rally de Monza:

1 – Ogier-Ingrassia (Toyota Yaris) – 2h39’08″6
2 – Evans-Martin (Toyota Yaris) – 7”3
3 – Sordo-Carrera (Hyundai i20) – 21”3
4 – Neuville-Wydaeghe (Hyundai i20) – 32″0
5 – Solberg-Edmondson (Hyundai i20) – 1’32″0
6 – Suninen-Markkula (Hyundai i20) – 2’22″6
7 – Katsuta-Johnston (Toyota Yaris) – 2’34″5
8 – Greensmith-Andersson (Ford Fiesta) – 2’50″2
9 – Rovanpera-Halttunen (Toyota Yaris) – 4’49″6
10 – Crugnola-Ometto (Hyundai i20 WRC3) – 9’06″9

Classificação final do WRC entre os pilotos:

1. Sébastien Ogier – 230 pontos
2. Elfyn Evans – 207
3. Thierry Neuville – 176
4. Kalle Rovanpërä – 142
5. Ott Tänak – 128
6. Dani Sordo – 81
7. Takamoto Katsuta – 78
8. Craig Breen – 76
9. Gus Greensmith – 64
10. Adrien Fourmaux – 42
11. Teemu Suninen – 29
12. Esapekka Lappi e Oliver Solberg – 22
14. Mads Ostberg – 15
15. Yohan Rossel – 12
16. Jari Huttunen e Andreas Mikkelsen – 10
18. Pierre-Louis Loubet e Onkar Rai – 6
20. Pepe López, Pieter Jan Michiel Cracco, Karan Patel, Aleksey Lukyanuk e Nil Solans – 4
25. Eric Camilli – 3
26. Nil Solans, Fabian Kreim, Carl Tundo, Marco Bulacia Wilkinson e Nikolay Griyazin – 2
31. Emil Lindholm, Vincent Verscheuren e Andrea Crugnola – 1

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

2 Comentários

  • Fica a chance perdida para os torcedores que tinham esperanças de Ogier igualar o número de títulos de Loeb, da mesma forma que este, quando anunciou sua saída do WRC, deixou todos desconsolados quando queriam ver se ele conseguia a marca de 10 títulos conquistados. Puxa vida, esses caras são demais, mas nos deixaram com um tremendo gosto de quero mais para ver se conseguiam mais uns títulos…

  • Multicampeões, em qualquer esporte de alto desempenho, são seres para se estudar. Schumi, Hamilton, Fangio, Rossi, Agostini, Loeb, Ogier, Peterhansel…, etc. Kelly Slater também é impessionante.

    A paixão pelo esporte, o foco, o profissionalismo exigido, além obviamente do enorme talento natural, colocam estes caras em outro nível, bem acima dos “mortais”.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames