IMSA, 6h de Watkins Glen: pole e recorde para a Meyer-Shank e Tom Blomqvist

I

RIO DE JANEIRO – Mais uma pista onde a Acura deitou e rolou contra os Cadillac DPi na definição do grid para a 7ª etapa do IMSA Weathertech SportsCar Championship, válida também como terceira de um total de quatro corridas da Michelin Endurance Cup. No traçado novaiorquino de Watkins Glen, os ARX-05C montados na plataforma dos Oreca fizeram mais um 1-2 na temporada.

A Meyer-Shank Racing desta vez foi quem levou a melhor com o carro mais rápido da pista até agora em todo o fim de semana. O #60 guiado por Tom Blomqvist enfrentou um osso duríssimo – o português Filipe Albuquerque – mas o britânico se saiu bem e bateu o luso por 0″164.

Quase meio segundo atrás veio o #01 da Chip Ganassi Racing/Cadillac, com Renger Van der Zande a bordo, dividindo a segunda fila com o outro carro da própria escuderia. Olivier Pla não teve ritmo para acompanhar os Acura e foi 5º a pouco mais de nove décimos, com o #31 da Whelen Engineering/AX Racing – que terá Pipo Derani na disputa também.

A JDC-Miller (futura equipe cliente Porsche na IMSA) icou em 6º e o #48 da Ally Cadillac Racing entrou na pista para fazer três voltas lentas e possivelmente largará do pit lane e com outro piloto – talvez Jimmie Johnson. A regra na IMSA é clara: o carro tem de largar com quem disputa a qualificação e com o mesmo jogo de pneus. Qualquer troca acarreta em penalidade. A formação que só disputa as provas do IMEC vai, assim, para o sacrifício.

A pole da LMP2 foi decidida por apenas um milésimo de segundo – isso mesmo! – Ben Keating e Steven Thomas, ambos da PR1/Mathiasen, foram os melhores do treino oficial e o piloto do Texas levou a melhor com 1’33″930 sobre Steven Thomas, que venceu na semana retrasada as 24h de Le Mans na LMP2 Pro-Am.

Quase de binóculos, Dennis Andersen pôs o #20 da High Class Racing em 3º no pelotão de inscritos, seguido pelo Racing Team Nederland com Frits Van Eerd à frente de John Farano, da Tower Motorsports.

Entre os LMP3, o argentino Nicolás Varrone, que está cumprindo agenda cheia e movimentada – nada como ser jovem… – fez a pole position num treino onde a Andretti Autosport enfrentou os maiores problemas, com o #36 guiado por Jarrett Andretti rompendo uma das suspensões. Antes de o problema acontecer e ser deflagrada por conta disso uma bandeira vermelha, Jarrett fora o quarto mais veloz.

Com 1’40″028, Varrone bateu por mais de meio segundo de diferença ao Ligier da MLT Motorsport, conduzido por Josh Sarchet. A equipe do brasileiro Felipe Fraga, presente recentemente nas 24h de Le Mans, ficou com a 6ª colocação – 1’41″481, tempo alcançado por Gar Robinson.

GTD Pro e GTD estiveram bem misturadas quando o grid foi definido: a BMW sairá na frente com a equipe de Bobby Rahal – o piloto Connor de Philippi, nos últimos suspiros, superou o 1’44″803 dos rivais da The Heart of Racing e fez ainda melhor – 1’44″755. A amostra dessa mistura é que o Team Korthoff Motorsports, com Stevan McAleer, levou a pole e com o 3º tempo entre os modelos GT – sem separação de subclasses, logicamente.

Com a pole pertencente à equipe de Augusto Farfus, restou para a Risi Competizione, com Daniel Serra na tripulação, um bom papel. O #62 foi guiado por Davide Rigon, que foi o terceiro melhor da GTD Pro. A Vasser Sullivan fez o quarto posto da GTD Pro e o terceiro da GTD, respectivamente com Ben Barnicoat e Richard Heistand.

Três dos 48 carros que compareceram – a Winward Racing retirou enfim sua segunda inscrição – não fizeram tomada de tempo. Dois se enroscaram num acidente no FP2: o Acura da Gradient Racing, guiado por Kyffin Simpson e o Porsche do Team Hardpoint, que tinha Katherine Legge a bordo. Ambos os carros pararam nas barreiras da curva #6 e houve uma bandeira vermelha para remoção dos carros danificados e a consequência da participação deles no Q2.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames