MENU

29 de março de 2014 - 07:23Fórmula 1, Temporada 2014

Hamilton e Mercedes: os alvos do momento

4403220140329111209

RIO DE JANEIRO - Como todo mundo sabe, nesta época do ano chove  -  e muito – na Malásia. São as chamadas monções tropicais, quase sempre com hora marcada. Bernie Ecclestone, teimoso como ele só, na busca de agradar a audiência europeia, coloca treino e corrida da 2ª etapa do Mundial de Fórmula 1 num horário não muito agradável – especialmente para o público sul-americano.

Resultado: choveu, como é de hábito. E o treino, com início às 5h de Brasília, teve o início adiado em 50 minutos. E haja paciência para aturar fofocas e outras bobagens.

O que vale a pena dizer é que, no seco ou no molhado, a Mercedes está à vontade. E Lewis Hamilton, mais ainda. O piloto britânico foi o melhor em todas as partes do treino classificatório e colocou seu bólido prateado na pole position. É a 33ª vez em que Lewis sai na frente numa corrida de Fórmula 1, o que o credencia a superar a marca do compatriota Nigel Mansell, que dividia com ele a primazia do britânico com o maior número de posições de honra na história. As 33 poles o deixam empatado com Jim Clark e Alain Prost e, na média, Hamilton fez uma pole a cada quatro corridas na carreira. Nada mal…

Apesar do aparente domínio dos carros do construtor alemão até agora neste fim de semana, a Red Bull pelo visto pôs as manguinhas de fora. O tetracampeão Sebastian Vettel, que parecia morto e enterrado – e muitos até queriam vê-lo assim – conseguiu um lugar na primeira fila, desbancando Rosberg e perdendo a pole por apenas 0″055. Desvantagem ínfima em relação a Hamilton, considerando que só os dois primeiros baixaram da casa de 2 minutos no Q3.

Fernando Alonso, apesar de um erro terrível dele e da equipe no Q2, quando o espanhol tocou na Toro Rosso do novato Daniil Kvyat, ainda conseguiu um brilhante quarto lugar. A bandeira amarela que se seguiu ao contato entre o piloto da Ferrari e o jovem russo foi de colher para que os mecânicos consertassem um braço de suspensão da F14-T em tempo recorde. E o piloto compensou com um belo resultado na pista, duas posições à frente de Kimi Räikkönen.

Bacana ver Nico Hülkenberg mais uma vez no Q3 com a Force India. O alemão segue como um dos bons valores da categoria e fez o 7º tempo, classificando-se com enorme tranquilidade à frente do companheiro de equipe Sergio Pérez. Também Jean-Eric Vergne foi bem e obteve a nona posição com seu Toro Rosso.

As decepções do treino foram McLaren e Williams, com erros de avaliação no uso dos pneus para as condições de pista molhada em Sepang. A McLaren errou nas duas fases decisivas da qualificação e foi por pouco que seus dois pilotos não avançaram ao Q3. Na briga pela Superpole, Kevin Magnussen esteve longe do brilhantismo do treino do GP da Austrália e Button, insistindo com pneus intermediários num piso muito molhado, só poderia terminar onde terminou: em décimo.

Já a Williams deitou por terra qualquer possibilidade de Felipe Massa e Valtteri Bottas em obter um bom resultado. Some-se a isso o agravante da chuva não favorecer o FW36, que é um carro “traseiro” e com enorme tendência a não conseguir uma boa performance em piso molhado. Por mais que os pilotos se esforçassem, não deu para conseguir uma sequência de voltas que garantisse ambos no Q3. A opção por pneus intermediários revelou-se um erro. Massa ficou apenas com a 13ª posição e Bottas foi o décimo-quinto. Depois, o finlandês acabou penalizado pelos comissários por bloquear a volta rápida de Daniel Ricciardo. Valtteri perdeu três posições no grid e larga em décimo-oitavo.

De resto, o treino mostrou também que a Sauber permanece na zona da marola e a Lotus, embora ainda tecnicamente bem desorganizada, evoluiu alguma coisa. Tanto que Romain Grosjean avançou para o Q2 e o carro de Maldonado pelo menos saiu do lugar, com o venezuelano ficando em 18º após o Q1, no qual também ficaram fora – como sempre  - os dois pilotos da Marussia e os dois da Caterham, com Jules Bianchi e Kamui Kobayashi não encontrando nenhum problema para superar seus companheiros de equipe.

Extra-oficialmente, o grid de largada do GP da Malásia é este:

1. fila
Lewis Hamilton (Mercedes W05) – 1’59″431 – Q3
Sebastian Vettel (Red Bull RB10-Renault) – 1’59″486 – Q3
2. fila
Nico Rosberg (Mercedes W05) – 2’00″050 – Q3
Fernando Alonso (Ferrari F14-T) – 2’00″175 – Q3
3. fila
Daniel Ricciardo (Red Bull RB10-Renault) – 2’00″541 – Q3
Kimi Raikkonen (Ferrari F14-T) – 2’01″218 – Q3
4. fila
Nico Hulkenberg (Force India VJM07-Mercedes) – 2’01″712 – Q3
Kevin Magnussen (McLaren MP4/29-Mercedes) – 2’02″213 – Q3
5. fila
Jean-Eric Vergne (Toro Rosso STR9-Renault) – 2’03″078 – Q3
Jenson Button (McLaren MP4/29-Mercedes) – 2’04″053 – Q3
6. fila
Daniil Kvyat (Toro Rosso STR9-Renault) – 2’02″351 – Q2
Esteban Gutierrez (Sauber C33-Ferrari) – 2’02″369 – Q2
7. fila
Felipe Massa (Williams FW36-Mercedes) – 2’02″460 – Q2
Sergio Perez (Force India VJM07-Mercedes) – 2’02″511 – Q2
8. fila
Romain Grosjean (Lotus E22-Renault) – 2’02″885 – Q2
Pastor Maldonado (Lotus E22-Renault) – 2’02″074 – Q1
9. fila
Adrian Sutil (Sauber C33-Ferrari) – 2’02″131 – Q1
Valtteri Bottas (Williams FW36-Mercedes) – 2’02″756 – Q2 (*)
10. fila
Jules Bianchi (Marussia MR03-Ferrari) – 2’02″702 – Q1
Kamui Kobayashi (Caterham CT05-Renault) – 2’03″595 – Q1
11. fila
Max Chilton (Marussia MR03-Ferrari) – 2’04″388 – Q1
Marcus Ericsson (Caterham CT05-Renault) – 2’04″407 – Q1

(*) punido com perda de três posições por bloquear Ricciardo

3 comentários

  1. Nino Rainier disse:

    Bernie é uma babaca. Não sabe o que faz. A Mercedes continua forte, a Red Bull mostra evolução mas tem que mostrar é confiabilidade e a Williams construiu um carro pra andar no seco e pra completar o Felipe é o “muito bom” de chuva. A McLaren segue fazendo besteira, pilotos promissores continuam fazendo um bonito quando dá, o Raikkonen “não está nem aí” e o Alonso e a Ferrari continuam desesperados porque não têm um carro pra brigar.

    • Luiz Alberto disse:

      “Bom de chuva “só para os que ficaram acéfalos pela verborragia de Gagalvão Globueno,pois só houve um piloto brasileiro que realmente era bom na chuva,os demais eram iguais a tantos outros e o Massacrado de todos é o de piores resultados em piso molhado querendo ou não o narrador da rede platinada.(dos que pilotaram por top times,logicamente.)

      • Nino Rainier disse:

        É aquela criatura insiste em colocar rótulos que não são reais. Aliás ele continua falando besteira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>