MENU

15 de novembro de 2014 - 18:18Mundial de Endurance

Toyota vence 6h do Bahrein; Buemi e Davidson são os novos campeões do WEC

2014-6-Heures-de-Bahrein-Adrenal-Media-nd1-0541_hd

Festa merecida: mesmo com uma falha no alternador do carro, Sébastien Buemi e Anthony Davidson comemoram o título antecipado do WEC entre os pilotos

RIO DE JANEIRO - Após duas temporadas do Mundial de Endurance (FIA WEC), a Toyota quebrou enfim o domínio da rival alemã Audi. Os japoneses, que ainda não conquistaram o título entre os fabricantes, embora somem uma vantagem de 40 pontos na classificação, comemoraram duplamente na noite deste sábado com a disputa das 6h do Bahrein. Afinal, o carro #7 guiado por Alexander Wurz/Stéphane Sarrazin/Mike Conway levou a melhor ao longo da disputa e a dupla formada por Anthony Davidson e Sébastien Buemi conseguiu o título mundial de pilotos por antecipação, numa corrida que contou com um espectador ilustre: o bicampeão mundial de Fórmula 1 Fernando Alonso (aliás, alguém tem dúvidas sobre onde o espanhol vai competir após o fim de sua carreira nos monopostos?).

2014-6-Heures-de-Bahrein--JR5-5950_hd (1)

Alonso no paddock das 6h do Bahrein: mais um da F1 seduzido pelo WEC? Só o tempo dira…

Não sem uma dose de dramaticidade, é verdade: o carro #8 vinha numa corrida exemplar e na altura da 58ª volta, perto do fim da segunda hora de disputa, a surpresa: o TS040 Hybrid chegou em velocidade reduzida aos boxes. Um problema de alternador jogou a dupla líder do WEC para a última posição na classificação geral, quando voltaram à disputa com 17 voltas de atraso e quase meia hora perdida na garagem.

2014-6-Heures-de-Bahrein-Adrenal-Media-rw7-0202_hd

Do último lugar após a falha do alternador ao 11º na quadriculada: assim veio o título para a dupla do #8

Era preciso recuperar. Buemi e Davidson deram tudo que tinham para superar todos os LMGTE-PRO e LMGTE-AM que vinham à frente da dupla. Na última hora, já estavam em 13º lugar na geral. E com a performance do Audi #2, dos únicos pilotos que ainda podiam aspirar ao título – Marcel Fässler/Andre Lotterer/Bénoit Tréluyer – e que não tinham ritmo para poder chegar ao resultado que lhes interessava, a vitória, aí a dupla do #8 se tranquilizou. Chegaram em décimo-primeiro, mas como o Morgan Judd da OAK Racing não pontua para o campeonato, somaram o pontinho do 10º posto e foi suficiente: com 148 pontos, os pilotos da Toyota não serão mais alcançados por Fässler/Lotterer/Tréluyer, que têm 117.

2014-6-Heures-de-Bahrein-Adrenal-Media-nd1-0254_hd

Wurz vê a quadriculada da vitória pela primeira vez em 2014: o resultado foi importante e ainda dá a ele e Sarrazin a chance de buscar o vice em Interlagos

Para Wurz e Sarrazin foi um triunfo importante: com o resultado, os dois ultrapassaram Lucas Di Grassi e Tom Kristensen na classificação (104 a 102) e ainda podem até sonhar com o vice-campeonato, dependendo de uma combinação de resultados nas 6h de São Paulo, daqui a duas semanas – só para tornar perfeito o ano da Toyota, o melhor da história do construtor em qualquer competição de Endurance. A Porsche bem que tentou, mas diante do predomínio do “Corollão”, restou chegar em 2º com a trinca Neel Jani/Romain Dumas/Marc Lieb, que chegou 50″460 atrás dos vencedores. Timo Bernhard/Mark Webber/Brendon Hartley completaram o pódio, também completando as mesmas 195 voltas dos dois primeiros.

WEC - 6h Bahrain 2014

A Audi ainda sonha com o título do Mundial de Construtores, mas está a 40 pontos da rival Toyota antes das 6h de Interlagos

Nos lados da Audi, mais um desapontamento: nem a autonomia de combustível do motor diesel vem sendo um fator a ajudar na performance do R18 e-tron quattro e não foi surpresa, sendo assim, ver os dois carros germânicos em 4º e 5º, com o protótipo #1 de Lucas Di Grassi, Loïc Duval e Tom Kristensen tomando duas voltas à quadriculada.

Entre os LMP1 não-oficiais, a Rebellion não teve adversários e correu contra ela mesma, já que o Lotus, que ainda padece de confiabilidade, quebrou logo na segunda volta. Pobres Simon Trummer e Nathanaël Berthon, que sequer conseguiram entrar no carro e fazer suas estreias efetivas no WEC…

Enfim… durante toda a prova, os dois protótipos com motor Toyota V8 se revezaram em 6º e 7º na geral, mas nos instantes finais o #12 teve problemas de bateria e precisou trocá-la. O #13 de Andrea Belicchi/Dominik Kraihamer/Fabio Leimer conseguiu um honroso resultado – 6º na geral, a sete voltas dos vencedores.

2014-6-Heures-de-Bahrein-Adrenal-Media-nd5-1017_hd

O Ligier JS P2 Nissan da G-Drive Racing passou algum tempo na garagem, mas voltou à disputa para somar pontos importantes na briga pelo título da LMP2

A disputa na divisão LMP2 foi dramática: logo na primeira volta, o Ligier JS P2 Nissan da G-Drive Racing colidiu com um dos Oreca 03R Nissan da SMP Racing numa disputa mais acirrada por posição e um dos braços de suspensão traseira do protótipo francês apresentou danos. O carro perdeu cinco voltas parado nos boxes e regressou à disputa, antes de novamente enfrentar problemas e perder mais tempo na pista.

Mas nem mesmo os dois carros da SMP Racing tinham uma corrida sossegada, por assim dizer. O #37 tocou num dos Toyota, perdeu a seção dianteira do protótipo e atrasou-se. Para completar, o #27, que estava tranquilo na pista e chegaria à frente do Ligier – resultado importante na briga pelo título entre os pilotos, uma vez que Sergey Zlobin já fazia as contas de quantos pontos precisaria para ser campeão em Interlagos – teve problemas no finzinho da disputa: começou a vazar óleo do bólido, o câmbio travou e Nicolas Minassian, que guiava o carro no último turno, precisou deixar a corrida restando apenas 15 minutos para a quadriculada.

1509707_805769729479483_5252202123116080147_n

A KCMG Racing riu por último e levou a vitória com seu Oreca 03R Nissan pela segunda vez na divisão LMP2

Assim, a vitória ficou com a KCMG Racing, premiando o esforço do time de Hong Kong para reconstruir o carro após o acidente sofrido na primeira volta das 6h de Xangai. A trinca formada por Richard Bradley/Matt Howson/Alexandre Imperatori conquistou o segundo triunfo do #47 em sete provas neste ano. O carro chegou em 8º na geral, três voltas à frente do #37 da SMP Racing. Roman Rusinov/Olivier Pla/Julien Canal completaram a prova em 12º a 18 voltas dos vencedores, mas foram alçados ao terceiro posto na pontuação porque o Morgan Judd #35 da OAK Racing não pontua no certame. Com isso, a tripulação do #26 chegará à Interlagos com 136 pontos – oito a mais que Zlobin, na batalha pelo título entre os pilotos.

10632749_805769789479477_6719407377191206226_n

Mais uma grande atuação a bordo da Ferrari F458 Italia deu o título da LMGTE-PRO à dupla formada por Toni Vilander e Gianmaria Bruni

A disputa na LMGTE-PRO em alguns momentos das 6h do Bahrein foi de tirar o fôlego, mas no fim da corrida deu a lógica: vitória de Gianmaria Bruni/Toni Vilander, que conquistaram mais um título para a equipe de Amato Ferrari no WEC. A dupla do #51 chegou ao total de 156 pontos e não pode mais ser alcançada por ninguém. A Ferrari disputa com a Porsche nas 6h de São Paulo o título entre as marcas de Grã-Turismo.

Bruni/Vilander completaram 173 voltas no total, chegando com apenas 1″879 de diferença para Darren Turner/Stefan Mücke, da Aston Martin. Com o segundo carro da AF Corse, James Calado/Davide Rigon completaram o pódio da categoria. O brasileiro Fernando Rees e seus parceiros Alex MacDowall e Abdulaziz Turki Al Faisal foram atrasados em razão de uma falha no Electronic Control Unit (ECU) do Aston Martin #99 após um reabastecimento e troca de pilotos. Acabaram em 24º na geral e sexto na classe, com 170 voltas completadas.

10302440_805769772812812_8933936152355819907_n

Na LMGTE-AM, a vitória no Bahrein deu o título antecipado a David Heinemeier-Hänsson e Kristian Poulsen, que dividiram o #95 com Nicki Thiim

Mas se não deu para comemorar na divisão principal de Grã-Turismo, a Aston Martin fez a festa na LMGTE-AM: a vitória nas 6h do Bahrein deu a David Heinemeier-Hänsson e Kristian Poulsen o título antecipado do Mundial de Pilotos na divisão. Os dois chegaram a 180 pontos, contra 138 de Paul Dalla Lana e Pedro Lamy, também da Aston Martin Racing.

O carro #95, que teve ainda Nicki Thiim a bordo, completou no total 172 voltas e chegou em 18º na geral. Após os problemas nos treinos, Stephen Wyatt/Michele Rugolo/Andrea Bertolini salvaram um excelente 2º posto na categoria com a Ferrari #81 da AF Corse, com Dalla Lana/Lamy/Nygaard fechando o pódio. Todos os carros da LMGTE-AM receberam a quadriculada.

7 comentários

  1. Eder disse:

    O Audi #1 ainda teve que botar combustível faltando 5 minutos pro fim. Esse regulamento é uma piada.

  2. Anderson Rodrigues disse:

    Rodrigo, você acha que a audi vai tirar o time de campo mesmo, indo para a F1?

  3. AGS disse:

    Formula 1: Ao dar aquela bolada para outro filipinho só que esse é candango nasceu na Samambaia, distrito do Roriz e Luis Estevão, a bolada que o BB nosso banco e Petrobras do pt, passar para o iniciante, passe para o Barrichelo, pagar para sentar na SF em 2015…Se Alonso já assinou com Ron Dennis, e ficar com Kimi só pra tomar Dry Martini, que abre as portas ao Rubens porra..O cara vai acertar a baratinha de Maranello em 2 tempos;;Quem sabe vem surpressa por ai..Pagar um iniciante a fazer tour de F1..paga pra quem sabe do mastiga..
    LANCE ESSA CORRENTE PARA O BRASILEIRO TER ALEGRIAS EM 2015 NA FORMULA 1..
    PENSA, RODRIGO..PENSA..LANÇA AQUI ESSA TESE…
    CHEGA DE FELIPES PÉ DE BREQUE E MOLA NA TESTA..
    CHEGA..VAMOS PEDIR A VOLTA DO BARRICHELO E PONTO FINALE………………………….

  4. Fernando Lima disse:

    Vi somente a primeira hora da prova, mas já esperava o triunfo dos japoneses, ainda que me restasse uma pontinha de esperança pelos Porsches. Sobre Alonso, acho que não larga o osso ainda da F1. Quem sabe daqui há alguns anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>