Cesar Ramos em dose dupla pela WRT

C

146520_211690_cesar_ramos_rosto

RIO DE JANEIRO – O piloto gaúcho Cesar Ramos, de 24 anos, é o novo piloto da equipe belga WRT, que representa a Audi nas competições de Grã-Turismo na Europa. Após defender a Kessel Racing no Blancpain Endurance Series, ele vai continuar neste certame e também competirá no Blancpain Sprint Series, que sucede neste ano o FIA GT Series.

Cesar, nascido em Novo Hamburgo, terá como companheiro de equipe no carro #1 do time de Yves Weerts e Vincent Vosse o belga Laurens Vanthoor, uma das sensações do FIA GT Series no ano passado. Os dois também competirão juntos no BES, no qual terão o reforço do alemão Marc Basseng, um especialista em provas de Endurance.

A escuderia apresentou hoje o seu programa de motorsport para 2014, contemplando Blancpain Sprint Series, Blancpain Endurance Series e 24 Horas de Nürburgring. Nesta, vão alinhar um carro apenas, para Stéphane Ortelli/Edward Sändström/Roman Rusinov e um quarto piloto a ser ainda designado.

No Blancpain Sprint Series, além do carro de Ramos/Vanthoor, o time terá no Audi R8 LMS #2 a volta de Enzo Ide ao lado de René Rast. No carro #3, sob a égide da G-Drive Racing, Stéphane Ortelli e Roman Rusinov formam parceria. E no #4, uma dupla de novatos, formada pelo franco-polonês Mateusz Lisovski e por Vincent Abril, que vão competir na divisão Pro-Am.

A WRT vem com três carros no BES. O #1 com Ramos/Vanthoor/Basseng, o #3 terá Frank Stippler/Christopher Mies/James Nash – este último vindo do WTCC e o #4, que será inscrito na divisão Gentlemen Trophy, virá com Yves Weerts/Jean-Luc Blanchemain/Christian Kelders. Um quarto carro está certo para a disputa das 24 Horas de Spa-Francorchamps, a principal prova do campeonato.

Foto: arquivo (Correio do Povo)

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

15 Comentários

  • Eu fico feliz de ver que tem alguns pilotos inteligentes que estão indo para categorias que não sejam as atuais estupidas formulas e seu autódromos sem tradição.Toda a Sorte para ele,que faça boas corrida e atraia mais seguidores e fans.
    Um dia destes eu ouvi um comentário de alguém que não me recordo o nome que disse que os jovens já não estão sendo atraídos pelo automobilismo,principalmente pela autoramesca F1,onde todos passam no mesmo trilho,e acho que é bem por isto mesmo que já não esta atraindo tanto ao jovens,pois me lembro bem ,já que sou tiozããããõooo,que nós(eu a a turma do bairro que gostava de automobilismo) íamos para o verdadeiro Interlagos e nos ficávamos nas curvas mais desafiadoras para ver o estilo de cada piloto ao contornar esta ou aquela curva;ponto de frenagem,aceleração,tangencia e outros detalhes.Cada um tinha o seu predileto conforme o estilo que lhe agradasse,hoje em dia com downforce estupido dos carros,praticamente fazem as curvas igualmente e só munido de um equipamento de telemetria ou na tabua de classificação é que é possível saber quem as contorna mais rápido,no olho nu é aparentemente igual para todos(os tops é claro!) e isto é bem sem graça.Como era bonito ver o carro escorregando nas quatro rodas no limite da aderências entre o bom tempo e a rodada eminente(que naqueles tempos poderia significar um gravíssimo acidente),infelizmente as gerações pós anos 90 não sabem o que é isto,não sabem o que diferenciava os grandes pilotos dos medianos.Não era simplesmente quem freava mais dentro o qual carro que tem um “Downforce” que permite contornar com maior velocidade as curvas,havia muito do braço e da habilidade do piloto,muitos campeonatos não foram ganhos pelo piloto que tinha o melhor carro,mas pelo piloto que tinha um carro razoável mas muita habilidade,sensibilidade e precisão,pois qualquer erro de marcha implicava na quebra do motor ou do próprio cambio.Foram bons tempos que não voltarão mais pela própria imposição do desenvolvimento do automovel,feliz foi o Claudio Carsughi que viu dede a Alfa 158 com Nino Farina até os dias de hoje e sabe do que estou falando(eu só vi Fangio com sua Maserati 250 F passeando pelo verdadeiro Interlagos no final dos anos 50,era bem pequeno mas já percebia o diferencial entre um grande piloto e os outros.)

      • Vai Correr sim. A equipe se mudou de Barcelona, para Sintra em Portugal. O coitado do meu pai já está lá preparando os carros a duas semanas.Eles vão estar em Pau Richard na semanda depois do Carnaval para o BOP com o Cacá e mais uma grande surpresa e vai correr com os dois carros

    • Balance of Performance. São treinos livres aonde todo mundo esconde o jogo para conseguir o melhor pacote do ano. Se for que nem no ano passado deverá ter mais de 60 carros (Junta o todo mundo do BSS e do BES). E aposto que os AUDI vão vir bem mansinhos no BOP.

  • Entendi. Esse é o grande problema de categorias onde os carros não são feitos pra correr, e sim pra rua. Deixar o desempenho equivalente é quase impossível e alguém sempre acaba favorecido. E antes que me atirem pedras, não sou contra a categoria GT, muito ao contrário, mas a verdade é que isso acontece em várias categorias pelo mundo que usam carros de produção em série. Repito, não sou contra a categoria…..

      • É isso que falo, carro de série quando vai pra pista nem sempre funciona a contento. Por isso que, por exemplo, um campeonato brasileiro de marcas é difícil de dar certo, sem equipes oficiais de fábrica. Acaba acontecendo como nos últimos anos do brasileiro de marcas aqui. O ano começava com 3, 4 modelos diferente. 3 corridas depois, quase todo mundo tava com o mesmo modelo. Quem bancava eram pilotos/equipes particulares, eles iam onde andava mais rápido, se todo o grid era de um só modelo, dane-se.

      • É o que tb está acontecendo no BSS. Muitas equipes estão mudando para o AUDI, a própria equipe do Loeb o fez. Só espero que com o Zanardi correndo de BMW, a SRO/FIA faça um pacote mais favoravel a BMW.

  • Primeiramente, toda sorte ao Cesar Ramos, pois guiará um dos melhores carros do grid. Quanto ao BoP das categorias, ficou evidente o domínio dos Audis no FIA GT Series. E olha que nas temporadas de 2011 e 2012 da antiga GT3 Europe, aparentemente, o modelo soberano era o SLS AMG GT3. Será que este ano o BoP fica mais favorável aos Z4?

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames