MENU

17 de setembro de 2019 - 10:26IMSA

Domínio e dobradinha Penske na penúltima do IMSA

EEiV_WnX4AAdfS9-e1568587755983

Mais uma vitória para Dane Cameron/Juan Pablo Montoya, que chegam à final em Road Atlanta com margem razoável em relação a Felipe Nasr e Pipo Derani

RIO DE JANEIRO – A Penske fez a festa na penúltima etapa da série IMSA Weathertech SportsCar Championship. No último domingo, os protótipos Acura ARX-05 DPi dominaram a corrida disputada na Califórnia e venceram em dobradinha – o que deu à marca da Honda o título da série entre os construtores, batendo Cadillac, Mazda e Nissan.

A dupla formada por Dane Cameron/Juan Pablo Montoya também foi a responsável por um triunfo histórico. No 200º evento do Team Penske em provas de Endurance ou Carros-Esporte, a equipe alcançou sua 90ª vitória – uma marca respeitável de praticamente uma vitória a cada duas corridas disputadas.

Num fim de semana de sonho para o Acura Team Penske, a dupla do carro #6 vai para a decisão do campeonato com 12 pontos de vantagem para os brasileiros Pipo Derani e Felipe Nasr. “Foi muito bom. Tivemos um fim de semana excelente e tudo o que precisávamos durante a corrida. Chegar à final com essa vantagem é positivo”, comentou Montoya.

Engana-se, porém, quem pensa que a dupla do #31 da Action Express, que inclusive renovou seu contrato para a temporada que vem, baixará os braços. Enquanto houver luta, ninguém se entrega: os pilotos provaram isto ao longo da disputa no domingo, recuperando após uma saída de pista de Nasr na primeira volta – espremido por um rival, ele caiu para sétimo e deixou o carro em quarto. Derani assumiu e conseguiu, na raça, a 3ª posição contra um pouco colaborativo Renger Van der Zande.

“Foi muito bom voltar ao pódio, principalmente depois de tudo o que enfrentamos no começo da prova”, comentou Nasr. “Fui pressionado e jogado pra fora da pista na saída da curva 2, na primeira volta, e dali em diante foi uma corrida de recuperação para voltar a andar entre os líderes”, lembrou o brasileiro, que é o atual campeão do IMSA.

“Conseguimos fazer bons stints, mas no final estávamos correndo contra o consumo de combustível. Estávamos com uma margem muito apertada, mas conseguimos chegar ao final. A equipe fez um grande trabalho, nos dando os números exatos, e o Pipo fez um excelente trabalho salvando combustível. Então, estou feliz com o terceiro lugar e por voltar ao pódio”, continuou Nasr.

“Meu primeiro stint foi difícil. O segundo foi melhor, com os pneus rendendo mais. Nos minutos finais, tive de brigar com o carro #10, enquanto tentava economizar combustível, o que foi interessante”, destacou Derani.

“Eles estavam muito bem, mas felizmente chegamos na frente. Agora vamos levar a briga pelo campeonato até a última etapa. Estou orgulhoso da corrida que fizemos neste domingo. Toda a equipe realizou um grande trabalho”, finalizou Pìpo.

Hélio Castroneves e Ricky Taylor completaram a dobradinha do Acura Team Penske em Laguna Seca mas, pela matemática, a chance da dupla do carro #7, que correrá com Graham Rahal como terceiro piloto na última prova do ano, é bastante reduzida.

Para se ter uma ideia do que Cameron e Montoya precisam, um 8º lugar é o suficiente entre os carros DPi inscritos. A Nasr e Derani será necessário vencer e torcer para os rivais não conseguirem nada melhor do que isso.

EEiW31kVUAAfnBc-e1568587706666

A esvaziada LMP2 teve Matt McMurry como campeão antecipado em 2019

Entre os solitários LMP2, o título está decidido: Matt McMurry é o campeão antecipado da categoria que teve apenas dois carros disputando as provas da série. Ele e seu parceiro Dalton Kellett foram beneficiados primeiro por uma má largada de Cameron Cassels e depois por um drive-through que a direção de prova se obrigou a dar ao #38, então guiado por Kyle Masson, por contato evitável com o Acura DPi de Hélio Castroneves.

Nem tudo, porém, foi ruim para a Performance Tech Motorsports: Cassels venceu o Troféu Jim Trueman, para o melhor piloto bronze do ano de protótipos. E assim conquistou uma vaga direta da série para as 24h de Le Mans 2020. Resta saber se a equipe de Brent O’Neill fará a viagem à La Sarthe.

EEiWjN_W4AYtn8q-e1568587737498

Hand e Müller triunfaram no palco da primeira vitória do Ford GT EcoBoost em sua trajetória nas pistas

Na GTLM, a Ford triunfou naquela que pode ter sido a última vitória do GT EcoBoost na pista onde o modelo conquistou sua primeira vitória também na série. Curioso é que, mesmo sendo da Califórnia (nasceu em Sacramento), Joey Hand jamais havia vencido em Laguna Seca em 20 anos de carreira profissional. Ele e Dirk Müller derrotaram a BMW de John Edwards/Jesse Krohn e os dois Corvette C7.R, que tiveram um bom final de semana.

Aliás, a Corvette anunciou que o experiente Jan Magnussen não retorna em 2020 como titular a tempo inteiro. Aos 46 anos, o veterano dinamarquês vai correr apenas as provas mais longas. Uma boa vaga se abre… Favoritos?

Líder do campeonato e já dona do título entre os fabricantes, a Porsche não teve bom desempenho em Laguna Seca. Ainda assim, Earl Bamber/Laurens Vanthoor vão à Road Atlanta com 12 pontos de vantagem (mesma diferença de pontuação na DPì) em relação aos próprios colegas de equipe Nick Tandy/Patrick Pilet. Antonio Garcia/Jan Magnussen não têm mais condição de defender o título do ano passado.

EEiT_FmVAAE0_X4-e1568587695178

Corey Lewis e Bryan Sellers passearam e venceram com folga na GTD

A dupla Corey Lewis/Bryan Sellers faturou em Laguna Seca na classe GTD com um domínio absurdo: a dupla do Lamborghini Huracán #48 passeou na pista da Califórnia e chegou à primeira vitória do ano – triunfo que deixou a marca de Sant’Agata líder entre os construtores com somente um ponto de diferença contra a rival Acura.

Cooper MacNeil/Toni Vilander chegaram praticamente meia pista depois dos vencedores com a Ferrari da Scuderia Corsa: acabaram derrotados por 32 segundos de diferença. John Potter/Andy Lally também foram muito bem e levaram o outro Lamborghini da classe ao pódio.

O canadense Zach Robichon chegou em 4º lugar na dupla com o compatriota Scott Hargrove e levou o primeiro título da competição paralela Weathertech Sprint Cup, exclusiva dos GTD nas provas com duração até 2h40min. O piloto da Pfaff Motorsports somou 203 pontos contra 197 dos vice-campeões Mario Farnbacher/Trent Hindman.

Mas a dupla do #86 da Meyer Shank Racing, mesmo após as dificuldades enfrentadas na disputa da Califórnia, está praticamente com o título na mão: com 32 pontos de diferença exatamente para Zach Robichon (aqui, os papéis se inverteram), eles largam para ser campeões na Petit Le Mans, dando o título à equipe de Michael Shank na temporada 2019.

O encerramento da temporada será no próximo dia 12 de outubro, um sábado, numa corrida com 10h de duração.

3 comentários

  1. Fernando Silva disse:

    Nao sei se é cedo para dizer que Montoya/Cameron estão com uma mão na taça porque ainda resta uma prova, que terá 10h de duraçao e os oponentes sao2 ninguém menos que Nasser/Derani, mas é uma boa vantagem e mostra o quanto este projeto do Team Penske já é vencedor.
    Esta proxima corrida tambem será marcante pelas despedidas…como dito acima, Jan Magnussen como piloto full time da Corvette Racing, o próprio Corvette C7R, o Ford GT Ecoboost…será imperdível.

  2. Claudio disse:

    Bacana para o Montoya. Mas convenhamos, troca a categoria e Castroneves continua não sendo campeão de nada. É uma sina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *